Treta hipócrita ou hospital de loucos?

Salta aos olhos que o “Estado Islâmico”, que tanto preocupa a “comunidade internacional”, não vive do ar. A sua complexa logística, o seu sofisticado equipamento bélico e de comunicação, a alimentação e municiamento das suas tropas, são caros e não podem ter origem numa Síria ou num Iraque em chamas.

É cada vez mais evidente que a placa giratória do tráfico que sustenta o ISIS se situa na Turquia que é um dos mais importantes membros da NATO. Segundo Assad*  na entrevista que concedeu a um jornal checo no dia seguinte aos atentados de Paris http://www.sana.sy/en/?p=25117,  o Qatar e a Arábia Saudita financiam o “Estado Islâmico”, que conta com outros apoios significativos designadamente da Jordânia e de alguns partidos libaneses. A França já veio reconhecer que armou os terroristas do ISIS http://g1.globo.com/mundo/siria/noticia/2014/08/franca-repassou-armas-rebeldes-sirios-ha-varios-meses.html. Israel também “dá uma ajudinha” ao ISIS atacando o exército Sírio pelos ares. É uma espécie de força aérea do “Estado Islâmico”… O curioso é que todos estes países são amigos e aliados dos EUA, UK e França, e fazem parte da tal coligação alargada liderada pelos EUA destinada a combater o ISIS.

Agora, um membro do ISIS capturado pelos serviços secretos paquistaneses, vem dizer que recebeu financiamento procedente dos EUA http://tribune.com.pk/story/828761/startling-revelations-is-operative-confesses-to-getting-funds-via-us/

Ou esta guerra ao “Estado Islâmico” não passa duma treta hipócrita e sangrenta ou então vivemos num hospital de loucos administrado por psicopatas?

Ou ambas coisas.

Daniel D. Dias

*Sugiro vivamente a leitura integral desta entrevista.